fbpx

Cirurgia Bariátrica – Tudo que você precisa saber!

cirurgia bariátrica

Em um post recente foi abordado como funciona a cirurgia bariátrica, seus tipos e quem pode se submeter a ela. Informações técnicas são extremamente importantes pois transmitem segurança e conhecimento a respeito do procedimento a ser realizado e o entendimento do que irá mudar na sua fisiologia e anatomia após a cirurgia.

Entretanto, é de suma importância que as pessoas que pensam em se candidatar ao procedimento tenham o devido entendimento de que não basta apenas estar num quadro de IMC conforme estabelece as diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM).

É preciso ainda que o paciente tenha compreensão das mudanças físicas, emocionais e estéticas que o procedimento proporcionará, sendo assim capaz de assimilar e passar pelo processo sem traumas ou arrependimentos.

Por essas razões que toda pessoa que se candidata à cirurgia bariátrica, passa por criteriosa avaliação multidisciplinar, a fim de suprir com esclarecimentos e orientações todas as prováveis dúvidas que possam acontecer no decorrer do processo.

Destaco uma série de pontos importantes a serem considerados e entendidos antes de decidir encarar o centro cirúrgico:

  1. A cirurgia não garante magreza eterna

Entender que a cirurgia é um poderoso instrumento, uma segunda chance para a sua saúde. É uma oportunidade para desenvolver uma qualidade de vida baseada em mudanças e manutenção de hábitos saudáveis.

  1. Mudar a mente é fundamental

Alguns cirurgiões dizem assim: “Irei operar seu estômago, mas a sua cabeça não! ”.

A cirurgia é capaz de muitas coisas, mas não modifica a cabeça do paciente. Passar pelo procedimento pensando que nada vai precisar mudar, é um equívoco que tem causado muitos casos de insucesso e arrependimentos.

É necessário uma maior e melhor preparação emocional para encarrar a necessidade de mudanças de hábitos e comportamento pessoal.

  1. As mudanças serão para sempre

Ao optar pelo procedimento cirúrgico, é imprescindível que o paciente adote um estilo de vida saudável, com manejo de estresse.

Também atividades físicas, alimentação equilibrada e acompanhamento médico até a alta para controle e tratamento de possíveis carências nutricionais, tratadas através de suplementação de nutrientes, para sempre.

  1. A perca de peso pode não ser para sempre!

Essa é uma dura realidade para muitos pacientes. O temido reganho de peso existe!

É normal que após 18 a 24 meses, aconteça uma estabilização do peso e uma recuperação entre 5 a 10% do peso perdido. Trata-se de uma adaptação fisiológica natural e esperada.

Quando este reganho de peso ultrapassa esses parâmetros, é o caso de ser avaliado como está a adesão deste paciente aos seus hábitos de vida desejáveis após a cirurgia.

Geralmente os pacientes que apresentam reganho significativo, são aqueles que retomaram velhos hábitos de alimentação inadequada, elevado consumo de bebidas alcoólicas e sem a pratica de atividades físicas regulares.

Não significa dizer que tudo estará perdido, porém, não será mais tão fácil como no começo da cirurgia perder os quilos recuperados. Será preciso maior empenho e dedicação.

  1. O coletivo é importante

Observa-se na pratica que manter contato com outros pacientes após a cirurgia, é um fator de maior engajamento e manutenção dos resultados obtidos.

Essas pessoas que trocam experiências, se apoiam e apoiam os outros, costumam manter seus acompanhamentos multidisciplinar e assim, tem maiores chances de alcançarem seus objetivos com a cirurgia bariátrica.

  1. A cirurgia apresenta riscos

Como qualquer procedimento, a cirurgia bariátrica apresenta seus riscos. Porém alguns são típicos, previstos e tratáveis. São eles:

  • Embolia pulmonar;
  • Sangramentos internos;
  • Fístulas na região operada;
  • Vômitos, diarreias e sangue nas fezes;
  • Anemias e deficiências nutricionais;
  • Síndrome de Dumping;
  • Transferência de um vício (comer) por outro (álcool, cigarro, sexo, por exemplo).

 

  1. Encarando as mudanças estéticas

É perfeitamente normal, que após grande perda ponderal aconteça um certo grau de flacidez pela sobra de pele resultante do emagrecimento acelerado.

Entende-se que aquela pele não teve “tempo” para se retrair juntamente com a redução do tecido adiposo. Considera-se também as características genéticas de cada tecido.

Então para alguns pacientes, este é um motivo de angustias, sentimento de arrependimento e até razão do desenvolvimento de sintomas depressivos.

O acompanhamento psicológico pré e pós cirúrgico visa atenuar quadros como esse.

Entretanto, já existe um entendimento do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de que os planos de saúde e o SUS devem cobrir as cirurgias plásticas reparadoras de pacientes com elevada perda de peso e considerável sobra de tecido por considerar de caráter funcional e não meramente estética a correção dessas sobras.

Portanto se você está pensando em se submeter a cirurgia bariátrica, peço que considere os pontos destacados e aproveite esta oportunidade para transformar sua vida, com objetivo de desfrutar de saúde, o bem mais precioso que temos.

Em breve estarei abordando como é a alimentação de um paciente bariátrico.

Até mais…..

 

Flávia Albuquerque – CRN7 9291

Nutricionista Clínica com Especialização em Cirurgia Bariátrica e Metabólica

Fale diretamente comigo clicando aqui

Parceiro oficial- Dieta do Chef (Voucher 30% de desconto em sua primeira compra)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *